27 fevereiro 2016

Jonny - Terceiro Episódio



Lembro-me da ultima vez que vi o Jonny. Tínhamos 26 anos e tentávamos encontrar alguém em uma balada lotada de pessoas para todos os gostos. Eu estava exausto e só queria voltar pra casa (como sempre) mas o Jonny insistiu para eu ficar quando começou a tocar Somos Tão Jovens. Lembro-me da alegria esbanjada em seu rosto, ele parecia a pessoa mais feliz do mundo enquanto pulava gritando o ultimo refrão. Era tão jovem... Ele voltou para sua casa em Curitiba, e depois de três dias sofreu um acidente. Jonny foi internado em estado grave, quando recebi a noticia comprei a passagem no mesmo dia. Esperava chegar e segurar firme a mão do meu amigo, mas não consegui. Jonny não havia resistido, e morreu no dia 20/09/2024, o que foi irônico... Jonny era o cara mais forte que eu conhecia. 

2014

-O que esse cara tinha na cabeça? -Falou Jonny lendo o livro de Historia, de ponta-cabeça sobre a cama.
-Que cara? Cara.
-Esse Adolf Hitler, o cara não tinha dó! Ele queria uma Alemanha "pura", somente com pessoas brancas, loiras e dos olhos azuis. 
-Olha pelo lado bom, você não morreria! -Nunca fui bom em piadas, mas o Jonny sempre ria das minhas tentativas. O que não aconteceu, ele me encarou sério e com rancor nos olhos.
-É isso? -Ele levantou e fechou o livro com força. -Vamos ficar aqui lendo sobre esses ordinários que torturaram olhos, calaram vozes e destruíram sonhos? Como posso viver tranquilo sabendo que alguém pode ter a audácia de dizer como deve ser a cor de nossas peles e cabelos? Eu me coloco no lugar daquelas pessoas, não como um cara de olhos azuis e cabelos loiros, mas como um ser humano que teve sua única vida interrompida por um babaca que resolveu se nomear um líder. 
Jonny tremia enquanto gritava, o que me assuntava um pouco. Mesmo sendo normal esses ataques de revoltas, eu nunca estava preparado.
-Calma cara, o que passou não pode ser mais alterado... 
Ele parou no tempo e pareceu concordar comigo.
-Tem razão, Luide! Só nos resta o futuro agora, não podemos errar de novo. Ou podemos?
-Bom, ainda existe um pouco de preconceito entre as raças mas não como antigamente. Creio que as coisas tendem a melhorar. 
-Verdade, talvez futuramente com a evolução da tecnologia e dos países, possamos viver todos em paz. Estaremos ocupados demais com nossas maquinas voadoras para olhar para cor... Quem sabe no futuro exista outras cores??
Não aguentei ouvir aquilo, e caímos juntos na risada. Então começamos a imaginar um futuro com avatares e elfos. 

2040

Em dezembro de 2030 fui ao mercado comprar algum presente de Natal para minha mulher. Ah, o Natal! Só de lembrar o quanto essa data era esperada ano após ano... Estava curiando as prateleiras com vários ursos sorridentes bordados com a frase "Eu te amo", havia uma moça morena do cabelo crespo ao meu lado, e parecia tentar escolher um urso como eu. Logo chegou o segurança da loja e pediu para a moça se retirar. Eu estava próximo e não pude deixar de ver aquela cena humilhante, a mulher queria saber o motivo pelo qual ela deveria sair do estabelecimento, e o segurança simplesmente a pegou pelo braço e a levou de forma grosseira para fora da loja. Nunca havia visto o racismo de perto até aquele dia.
Jonny acreditava que nunca mais haveria rastros tão marcantes como o nazismo. As vezes fico grato pelo meu amigo não ter ouvido falar de Gregori Mantis, seria dureza acalmar toda a sua fúria. Gregori surgiu no ano de 2035 com a ideia de exterminar todos que viviam no continente africano. De acordo com Mantis aquelas pessoas não contribuíam com a evolução mundial, e os batizaram como Vírus, já que a maioria das doenças vieram de lá. Isso causou revoltas e muita violência, o que causou a morte do Gregori no mesmo ano, mas o mais assustador é que aquela ideia foi estudada durante um ano inteiro! Mas não foi aceita, já que haveria mais sangue. E claro, infelizmente, não existem avates e elfos.
Tudo mudou tão rápido, e o mais assustador é notar como nos abitamos tão depressa. O que fez toda uma humanidade, repleta de culturas e opiniões se calar dessa forma? Opressão e medo? Tudo pela evolução e sobrevivência? "De que vale a vida então, caros irmãos? Se até mesmo as mais belas palavras não são ditas mais, por falta de tempo e sentimento." essa foi a ultima frase de um dos meus escritores favoritos, William Fiwils, antes de se suicidar. Ele estava farto disso tudo, e quem não está? 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá, marujo! Agradeço desde já pelo seu comentário, é muito legal saber o que acham das postagens. Não se esqueça de deixar o link do seu blog para que eu possa retribuir o comentário.