19 janeiro 2016

Descobri a tua inexistência


Descobri a tua inexistência
Fiz questão de me partir ao meio
Joguei cada pedaço meu ao mar
E dormi a tarde inteira

Me desbotei aos poucos
Em tentativas fracassadas
Agora não tenho mais cor
Nem vontade de sair

Não te conheço mais
Nem me lembro dos teus gostos
Me esqueci do teu sorriso
E isso me deixa tão triste

Tudo dura até um dia acabar
Tudo é eterno até um se cansar
Tudo foi bem até você sempre me recusar
E ir embora



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá, marujo! Agradeço desde já pelo seu comentário, é muito legal saber o que acham das postagens. Não se esqueça de deixar o link do seu blog para que eu possa retribuir o comentário.