25 dezembro 2015

Deixo-te ir agora


Parece estás tão entediada
Compreendo-te agora, se caso quer ir embora

Averigue o teu antigo lar
Não se esqueça de levar todos os teus sonhos

Não vou te prender aqui
Não vou mais te prender a mim
Se quer ir, então vá
A porta está aberta

Carregue os seus móveis, esvazia-me de ti
Pode ir não tenha pressa, eu não vou te impedir não

Vá procurar outro lar pra tu morar
Agora entendo o que é deixar por amar

Se eu não sou o ideal para ti, pode ir para longe de mim
Cansei de me enganar 
Não se prende o que não quer ficar
Deixo-te ir agora

Se outros lares não te confortar
Se neles os teus móveis não se encaixar
Se os teus sonhos não fluírem, tuas marcas não surgirem
Vá embora outra vez

Procure quem te satisfaça, e quando encontrar
Serei feliz mesmo vazio, até a vida se lembrar
Do meu desapego, para um novo lar se criar
Com alguém que venha para não me deixar

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá, marujo! Agradeço desde já pelo seu comentário, é muito legal saber o que acham das postagens. Não se esqueça de deixar o link do seu blog para que eu possa retribuir o comentário.