25 setembro 2015

Como vai você?

É encarando os fios brancos do meu reflexo que me pergunto agora, "como vai você?". Já faz um tempo desde quando pedi para você parar de me procurar, desde quando escondi meus sentimentos por causa de outra pessoa. A vida as vezes não nos dá opções muito boas, pois de qualquer forma, alguém iria sair machucado. Sei que fui cruel com seu pobre coração, mas acredite em mim, não era pra ser assim. E  hoje quem mais sofre com isso sou eu, pois no final de cada dia nublado lembro-me daquela tarde de chuva que passamos juntos, o cheiro de terra molhada liberta a minha memoria de uma forma profunda. É como reviver cada minuto ao seu lado. Mas você não está aqui, e essa foi uma escolha minha.
Ah rapaz! Se tu soubesse a falta que me faz, a agonia que me causa o fato de ter te expulsado do meu futuro. Se caso soubesse, ah... talvez voltaria para minha vida. Como gostaria de ouvir novamente a tua voz, sentir teu perfume ou ao menos saber como vai a seu destino agora. Perguntar sobre aquela banda de Rock que você tanto me falava, ou sobre sua coleção de pedras reluzentes... Mas eu te obriguei a ir, a seguir sem mim, a esquecer desse amor que não haveria de existir com tantas marcações. Fomos feitos um para o outro, mas não fomos feitos para ficar juntos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá, marujo! Agradeço desde já pelo seu comentário, é muito legal saber o que acham das postagens. Não se esqueça de deixar o link do seu blog para que eu possa retribuir o comentário.