03 março 2015

A Pesquisa de Júlia - Episódio 8


"Every rule I had you breaking" -Halo (Aqui)

-Como será, Júlia? -Perguntou ele enquanto andava, agora mais próximo do destino.
-Como será o quê, Davi?
-Como será ter a certeza de que tudo vai estar bem... As vezes imagino como seria se eu escolhesse o futuro que meus pais fizeram para mim, talvez seria o melhor, tipo, pra todos.
Júlia juntou os pés e não saiu do lugar.
-Eu não estou ouvindo isso do garoto que mais luta pela sua vez, não é mesmo?
Ele ri ao perceber que ela estava certa sobre isso, Davi foi rebelde e mostrou que não queria ser o que não escolhera, fez da forma errada e estava arrependido, mas não iria se render devido a suas escolhas.
-Sabe, acho que merecemos um descanso. Vamos parar um pouco. -Disse ele.
Os dois pararam em outro posto de gasolina e comeram um pouco, riam e se conheciam ainda mais. Demos de um tempo, Davi revirou sua mochila e de lá tirou um pequeno livro, parecido com o que Júlia tinha comprado para fazer sua pesquisa. Ela o encarou sem esconder a surpresa, já imaginava o que poderia acontecer.
-Eu comprei esse caderno, antes de decidirmos isso tudo. Ele é, pra você.
Davi entregou o pequeno caderno de uma forma tímida, o que fez Júlia suspirar, ela o pegou e o revirou várias vezes depois de folia-ló. Mas sem disfarces, o encarou com seriedade.
-Pra que isso, Davi?
-Pra você continuar a sua pesquisa.
-Qual pesquisa? Você ainda não entendeu, não existe mais pesquisa!
-Qual é Júlia? Vai da uma de orgulhosa agora? De quem começa e não acaba? -Ele deu uma pausa e segurou as mãos de Júlia com firmeza, e isso a fez olhar nos olhos do rapaz. -Eu acreditem você, e acho um desperdício acabar assim.
Júlia ficou em silêncio esperando por mais palavras, e ele continuou.
-você deve escrever, o mundo esqueceu como amar. Ta faltando pessoas puras que erguem a fé dos homens, mostrando que apesar de tudo, é possível existir amor. Você é uma dessas pessoas Júlia.
Ela o encarou, ele esperava uma resposta. Júlia pensou enquanto olhava para o teto e para o caderno, mas não resistiu a doce fala de Davi, ela novamente pegou o caderno e sorriu como resposta.
Os dois vagavam pela noite, mas diferente das outras, Júlia mantinha mais os olhos em Davi, mudos motivos pelo qual tanto tropeçava. Os dois de fato combinavam, mas Júlia tinha suas dúvidas. Ela. Decidirá então esperar mais um tempo, Davi sempre a motivava e a escutava de verdade em cada conversa. Discordava, concordava, ironizava e elogiava. Tudo do modo Davi, doce, sincero e direto. Mas ele precisava dar algum sinal, ele parecia estar interessado em algo mas ainda ocultava as coisas, mas naquele momento Júlia se sentiu segura de que algo aconteceria.
Estava frio e escuro, e os dois precisam de um lugar para ficar, mas enquanto isso decidiram ficar em um banquinho que encontraram por ali.
-você ta com frio? -Perguntou ele.
-Um pouco.
Júlia pensou que Davi iria fazer a típica cena da jaqueta, em que o rapaz prefere passar frio do que ve sua garota passar. Mas não, ele apenas encosta, e a puxa para perto a prendendo em seu braços, Por um momento Júlia arregalou bem os olhos e manteve seu corpo endurecido, seria esse o sinal? Mas logo pousou sua cabeça sobre o ombro de Davi, enquanto tentava se acomodar.
Encontraram uma pousada onde decidiram ficar por uma noite, a ultima noite em que eles passariam a procura do destino que já estava logo ali.
-Júlia, precisaremos dividir o mesmo quarto. Tudo bem pra você?
Júlia concordou em dividir o quarto, e insistiu para que Davi ficasse com a cama. Essa mesma que também acabou sendo dividida pelos dois, mas não era nada ruim, para nenhum deles. Não era algo constrangedor ou semelhante.
-Seu avô sabe da sua fuga, Davi?
-Não, se ele soubesse teria um treco. Ele gosta muito de mim, me ensinou tudo sobre pescaria, bebidas e claro, sanfona. -Uma pausa é feita. -Das três filhas do meu avô, minha mãe foi a única a lhe dar um neto. Ele diz que depois dele, eu sou o homem da casa. -Ele ri ao lembrar
-E sua avó? Não tem nada pra falar sobre ela?
-Minha vó também é legal, e eles formam um casal perfeito. Ah! E as panquecas dela são as melhores.
Júlia ri e então Davi também, os dois se mantem deitados de frente um pra o outro.
-Sabe, um dia quero encontrar alguém que me permita chegar o mais próximo do que foram meus avôs.
E é nesse momento que os olhares se encontram, e, sem nenhuma presa ou vergonha. Sem nenhuma virgula ou detalhe. Sem nenhum cronometro ou toque. Os dois se beijam.

2 comentários:

  1. Oii...
    Adorei o texto. Quero a continuação, para saber o que vai acontecer com Júlia e Davi.
    Tenha um bom Domingo.
    Beijinhos ;**
    Leitora Online

    Instagram | Twitter | Facebook

    ResponderExcluir
  2. Zenteeeee! Nunca fiquei tão feliz com o lançamento de um capítulo de Web série quanto agora, nem quando consegui tirar a minha da poeira.
    Na boa, a pessoa instiga a gente a ler atentamente cada detalhe pra parar na melhor parte... ¬¬

    ResponderExcluir

Olá, marujo! Agradeço desde já pelo seu comentário, é muito legal saber o que acham das postagens. Não se esqueça de deixar o link do seu blog para que eu possa retribuir o comentário.