19 outubro 2013

A Culpa É Das Estrelas

Oi gente, tudo bem com vocês? Eu ganhei uns presentes do meu pai e um deles foi o livro do John Green, A Culpa É Das Estrelas. Já havia um bom tempo que eu queria ler este livro, mas, não foi bem como eu esperava. Digo isso porque esperava mais do livro (acho que pelo fato de sempre vê-lo nos blogs e todos falando sobre ele e tals) mas isso não quer dizer que eu não tenha gostado dele, o livro é ótimo e amo tê-lo pois até me emocionei em algumas partes. Enfim, espero que gostem do resultado, indico.

Resenha

Hazel Grace tem câncer em seus pulmões há 3 anos e aceita seu destino, pois sabia que mesmo que seu tumor estando encolhendo ela teria apenas mais alguns anos de vida. Mas, o que afeta de fato Hazel é o modo de seus pais viverem, ou melhor, o modo de seus pais deixarem de viver por se ocuparem com a doença da filha. Mas, a vida de Hazel simplesmente muda com a chegada de Augustus Waters. Eles se conhecem no Grupo de Apoio a Crianças com Câncer pelo qual Hazel era obrigada ir, e pela primeira vez ela se encontrava encantada pela beleza de um garoto dos olhos azuis que a encarava. Gus também tinha câncer e por causa dele havia perdido um das pernas onde ocupava-se um prótese. Hazel e Augustus acabam se conhecendo e é através de um livro (Uma Aflição Imperial) que eles ficam mais próximos, e ela se apaixona do mesmo jeito que alguém cai no sono: gradativamente e de repente, de uma hora para outra. O tal livro acaba despertando um curiosidade nos dois pois ele terminava no meio de uma frase e isso bastava para que eles buscassem o fim da historia de Anna, uma menina com câncer. Os dois se comunicam com autor do livro, e vão em busca das respostas, passando por dias juntos descobrindo mais um sobre o outro.

Que nome bizarro :s

Quando li aquele trecho do livro percebi de cara que ele era o motivo do titulo do livro, mas não poderia ser tão radical e afirma assim. Por isso pesquisei sobre, e sorte minha que era o que eu realmente achava. O livro se chama A Culpa É Das Estrelas por um trocadilho que o autor faz, presente em um outro livro. Este:

"A culpa, meu caro Bruto, não é de nossas estrelas / Mas de nós mesmos, que consentimos em ser inferiores."

O que isso quer dizer é que a culpa não é do destino, a culpa é nossa, nós somos o problema. Entende?  Pois é.

O que aprendi com o livro

O livro é legal e ensina bastante, mas resumi tudo que mais gostei. Bom, aprendi que a dor precisa ser sentida, que o mundo não é uma fabrica de realizações de desejos, que as marcas que os seres humanos deixam são, com frequência, cicatrizes. E claro, aprendi que alguns infinitos são maiores que outros.

Capa do livro e algumas frases

(Eu acho a capa do livro muito perfeitinha, serio, é simples e não contem imagens. Apenas o título nessas nuvens.)

"Esse é o problema da dor, ela precisa ser sentida."

"Mas eu acredito em amor verdadeiro, sabe? Não acho que todo mundo possa continuar tendo dois olhos nem que possa evitar ficar doente, e tal, mas todo mundo deveria ter um amor verdadeiro, que deveria durar pelo menos até o fim da vida da pessoa."

 "Às vezes, as pessoas não têm noção das promessas que estão fazendo no momento em que as fazem."

"Chegará uma época em que não restarão seres humanos para recordar que alguém sequer existiu. Não sobrará ninguém nem para recordar Aristóteles ou Cleópatra, quanto mais a ti."

"Alguns infinitos são maiores que outros… Há dias, muitos deles, em que fico zangada com o tamanho do meu conjunto ilimitado. Eu queria mais números do que provavelmente vou ter." 

"Você me deu uma eternidade dentro dos nossos dias numerados, e sou muito grata por isso."

"Não é possível escolher se você vai ou não se ferir nessa vida. Mas é possível escolher quem vai te ferir. E eu aceito minhas escolhas."

Gostaram? Curtiram? Aprovaram? Espero que sim, eu amei o livro (apesar de ter esperado mais) e foi já quase no fim que comecei a gostar mais da historia e tals... Enfim, espero que vocês tenham gostado da resenha e leiam um livro. Beijo <3

6 comentários:

  1. Ai, meu deus. Esse é o melhor livro do ano, sério.
    Eu simplesmente AMEI ler esse livro. Uma história muita linda e muito comovente.
    O final é meio triste :/ mas continua sendo lindo *-*
    Adorei a resenha :3
    Beijos.

    garotamodamh.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também :DD
      Bom, no começo eu me decepcionei (não que o livro seja ruim, é que esperava mais e tals) mas assim, depois, logo no fim e em algumas partes ele simplesmente me cativou! Comovente mesmo. :')
      *-*
      Awn que bom que você gostou, bjs <3

      Excluir
  2. eu tenho esse livro e simplesmente amei ele!
    ele é divo e apaixonante!
    é perfeita a história,chorei muito quando o augustus disse que estava sentindo dores na cintura,aparti dai eu chorei muuuuuuuito acredite,até solucei!
    é perfeito esse livro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vem cá, colega o/
      Nossa, nem me lembre, eu chorava muito tbm enquanto lia kkk principalmente no capitulo vinte e um, eu fiquei paralisada em frente ao livro ao ler aquelas primeiras palavras :(( isso que dá se apegar demais a historia ¬¬ kk gosto de livros que me fazem chorar (estranho, mas é a verdade) kk
      Bjs <3

      Excluir
  3. Nhaaaaun ~~ esse livro é divo, cara! Fala sério... eu nem acredito que nem li ainda :c
    Adorei a resenha :DD

    Beijos ♥ | Tentando Esquecer - Fanpage

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Te entendo completamente, tem tanto livro por aí bom que nunca li que parece injusto! kkk u-u' mas enfim, indico :DD e obrigada, que bom que você gostou ^-^

      Excluir

Olá, marujo! Agradeço desde já pelo seu comentário, é muito legal saber o que acham das postagens. Não se esqueça de deixar o link do seu blog para que eu possa retribuir o comentário.