27 janeiro 2018

Por alguns segundos eu até acredito

    E então você aparece, como quem só está sendo gentil comentando alguma foto minha da historia do Instagram. Por alguns segundos eu até acredito que você é realmente esse cara atencioso, que quer passar um tempo comigo jogando conversa fora e rindo a toa, assim mesmo, sem pretensão nenhuma de me deixar confusa, me dizendo coisas legais e sumindo no dia seguinte. Mas é só acontecer, é só você novamente me deixar sozinha pra eu lembrar o que me fez querer te esquecer, essa sensação esquisita que sinto, como quando você avista o ônibus vindo, mas o astigmatismo não te permite ver se é o seu, e você tem medo de acenar. É uma sensação de perda por algo que nunca pertenceu, e talvez seja esse o motivo da agonia, pois não faz sentido algum. Tudo bem, eu tenho minha parcela de culpa, mas não pelo tão temido "papel de trouxa que gosta de se iludir", não, afinal é você que aparece, é você que mesmo não tendo certeza sobre o que quer, aparece, e não só não se importa como tenta me confundir. A minha culpa está em te aceitar, em deixar você voltar, e por alguns segundos eu até acredito.